Total de visitantes

26 janeiro, 2017

Carta " THE TOWER" Colorizada



A imagem de um homem que se precipita no vazio, do alto de uma torre, é uma das alegorias mais remotas que se conhece para representar o orgulho. Custa pouco intuir que esta metáfora – e a aniquilação celeste que a acompanha – tem filiação direta ao destino da torre de Babel.

23 janeiro, 2017

Cavalo Dado


A idade dos equinos é identificada visualizando sua arcada dentária. Os cavalos, de forma geral, trocam a dentição a partir dos 2 anos de idade e que os dentes de leite são mais claros que os permanentes.
Outro fato é que, com o tempo, devido à mastigação, os dentes são desgastados e mudam o arco incisivo, sendo arredondados no animal jovem e mais alongados nos velhos. Daí surgindo a expressão "a cavalo dado não se olha os dentes", que significava, originalmente, que se comprar um animal provavelmente preocupar-se-á em obter um cavalo jovem, porém, se receber um, não importa que ele seja velho.

19 janeiro, 2017

Autorretrato

 Fiz com base em fotografias de perfil minha. eu  envelheci meu rosto (atual) e coloquei mais barba e cabelos. A referência são as gravuras dos ventos dos Mapas antigos. Na Mitologia grega os ventos eram comandados pelo deus ÉOLO. Os nomes deles eram BÓREAS, ZÉFIRO, EURO e NOTO.
 Em breve postarei o desenho original sem coloração digital.

16 janeiro, 2017

Antigo Deus Baal


O Baal era o nome do principal deus masculino dos fenícios e cartagineses, e aparece na Bíblia no plural, como baalim. 
Baal é uma palavra semítica que significa Senhor ou Lorde. A raiz da palavra significa ele governa ou ele possui, de onde vem o significado literal de senhor ou lorde, e também de marido. Baal, com o artigo definido, 
 As estátuas erguidas a Baal eram chamadas de Baalim, ou B'alim. Seus templos e altares eram construídos no alto dos morros sob árvores, ou no teto das casas.
Havia uma grande quantidade de sacerdotes, que queimavam incenso, sacrificavam crianças, dançavam em torno do altar, e, caso suas preces não fossem atendidas, cortavam-se até o sangue jorrar, de forma a conseguir a compaixão de Baal.


Possivelmente, na origem Baal era o verdadeiro senhor do Universo, degenerado depois para a adoração de um ser poderoso que existia no mundo material. Segundo Sanchuniathon, os fenícios adoravam o Sol como o único senhor dos céus, e que este Beelsamen era idêntico a Zeus. Na Septuaginta, Baal é transcrito como Héracles

11 janeiro, 2017

O Sol


Fiz este desenho baseado em uma lembrança minha de uma ilustração do tempo colonial brasileiro. A gravura original era de uma xilogravura de uma carta de baralho (possivelmente impressa em Portugal).
Como memória é mutável, o resultado final do meu desenho pode diferenciar muito com a ilustração original. Incluí mais detalhes e inscrições latinas.

Entre no link e veja eu elaborando o desenho do zero!

10 janeiro, 2017

Júpiter e Zeus.... o mesmo Deus.



Júpiter (em latimIuppiter, Dis Pater e deus pater, em grego Zeu pater, sânscrito Dyàuṣpítaḥ) era o deus romano do dia, comumente identificado com o deus grego Zeus. Também era chamado de Jove (Jovis). Na mitologia romana Júpiter é o pai do deus Marte. Assim, Júpiter é o avô de Rómulo e Remo, os lendários fundadores de Roma. Júpiter é filho de Saturno e Cibele.
Zeus (em grego antigo: Ζεύς; transl. Zeús; em grego moderno: Δίας, transl. Días), é o pai dos deuses e dos homens (πατὴρ ἀνδρῶν τε θεῶν τε, patēr andrōn te theōn te),[3] que exercia a autoridade sobre os deuses olímpicos na antiga religião grega. É o deus dos céus, raiosrelâmpago que mantêm a ordem e justiça na mitologia grega. Seu equivalente romano é Júpiter, enquanto seu equivalente etrusco é Tinia; alguns autores estabeleceram seu equivalente hindu como sendo Indra.

Fonte: Wikipedia

09 janeiro, 2017

A Loba de Roma


Loba Capitolina é uma escultura de bronze, mantida nos Museus Capitolinos, de dimensões aproximadamente naturais que representa a loba das narrativas romanas sobre a Fundação de Roma. É tradicionalmente considerada como uma peça da arte etrusca, mais precisamente do escultor Vulca de Veios, que teria sido fundida no curso inferior do rio Tibre e que permaneceu em posse de Roma desde a Antiguidade. Porém estudos recentes encabeçados pela Universidade de Salento demonstraram, através do uso de datação por radiocarbono, que é uma obra feita na Idade Média, mais precisamente entre os séculos XI-XII,quando surgiram técnicas que permitiam a fusão de obras de bronze desse tamanho em uma única peça. Nela foi anexada uma outra peça, atribuída a Pollaiuolo, no século XV, figurando Rômulo e Remo sendo alimentados. Esta parte foi anexada em 1471, quando o bronze foi doado pelo Papa Sisto IV à cidade de Roma e transferido do Latrão ao Capitolino.


fonte: Wikipedia